terça-feira, 31 de maio de 2011

Dia de oração pelos cristãos iranianos

O Christian Solidarity Worldwide (CSW) e o Ministério Elam realizarão um dia de oração pela Igreja Perseguida no Irã, no sábado, dia 11 de junho, em Londres.

Os cristãos iranianos têm sofrido uma pressão crescente por parte do governo. Desde junho de 2010, pelo menos 254 cristãos foram presos, interrogados e detidos em cerca de 34 cidades do Irã. A maioria dos detidos foi libertada depois de pouco tempo. No entanto, ao menos 41 passaram entre um e oito meses na prisão.

Enquanto estão na prisão, os detidos enfrentam isolamento, privação de sono, doenças, falta de tratamento médico e ainda convivem com péssimas condições sanitárias. Torturas físicas e psicológicas são usadas durante os interrogatórios, para que os presos façam confissões ou forneçam informações sobre os cristãos e as atividades religiosas.

Pelo menos sete homens ainda estão na prisão, incluindo o Pastor Vahik Abrahamian, Fathi Farshid e o Pastor Nadarkhani Yousef, que foi condenado à morte por apostasia.

O evento em favor desses cristãos iranianos será realizado no Centro Emmanuel, em Westminster. As portas se abrirão às 12h30 e as orações começarão a partir das 13horas.

Tradução: Lucas Gregório 


Fonte: Persecution

segunda-feira, 30 de maio de 2011

Suspeitas de ataques muçulmanos contra pastor e sua família

Cristãos no Paquistão continuam preocupados com relação à situação do pastor Paulo Ashraf e sua família, depois que sobreviveram a um ataque feito por supostos militantes islâmicos na província de Punjab, ferindo gravemente seu filho primogênito.

“O pastor Ashraf estava em um carro com sua esposa, Rubina Ashraf, e seu filho mais velho, Sarfraz Ashraf, em 27 de abril, quando dois homens não identificados em uma motocicleta abriram fogo contra seu carro”, disse o Centro de Assistência Jurídica, Assistência e Liquidação (CLAAS), um grupo de defesa que está seguindo de perto o caso.

“O pastor e sua esposa saíram ilesos, mas Sarfraz, que dirigia o veículo, foi atingido no rosto. Os homens que efetuaram os disparos fugiram quando viram que tinham ferido gravemente o filho do pastor”, explicou o CLAAS. “Milagrosamente, ele sobreviveu ao tiro no rosto e foi liberado do hospital, após apenas um dia de internação.”

Não houve reivindicação imediata de responsabilidade pelo atentado. No entanto, a CLAAS disse que o ataque foi precedido de cartas e telefonemas ameaçadores que o pastor recebeu da organização radical islâmica Tehreek-e-Gazi Bin Shaheed.

Ainda segundo a CLAAS, as ameaças tinham colocado a família em alerta máximo, mas agora há uma preocupação ainda maior com relação à segurança, já que estão sob ataques diretos.

O Pastor Ashraf é líder de duas congregações, nas cidades de Kashmore e Abad Saqid. Além disso, é um renomado escritor cristão e poeta, que, juntamente com sua esposa, dirige uma escola para crianças de famílias cristãs na cidade de Lahore.

Tradução: Lucas Gregório 


Fonte: Worthy Christian News

DIA 31 - Tunísia (37º) - Eleições na Tunísia

Após o president Ben Ali ter deixado o país, o povo espera por novas eleições. Ore para que as votações sejam livres e tranquilas e para que a mudança de regime dê aos cristãos mais liberdade para que possam registrar suas igrejas.

DOMINGO DA IGREJA PERSEGUIDA - DIA 19 DE JUNHO

video

domingo, 29 de maio de 2011

DIA 30 - Mauritânia (13º) - Influência islâmica

O país está sob influência do partido islâmico. Ore por um testemunho cristão mais forte e por unidade entre os líderes cristãos.

Casal sofre perseguição por se converter a Cristo

Igreja Episcopal em Cartum

Em Cartum, casal cristão, com um recém-nascido, disse que vive sob ataques após se converter do islamismo ao cristianismo.

Omar Hassan e Amouna Ahmadi, ambos de 27 anos, disseram que fugiram de Nyala, a 120 km a sudoeste de El Fashir, para Cartum, em junho de 2010, mas homens armados com facas, conhecidos como “os assaltantes mascarados”, atacaram-nos no dia 4 de maio, depois que parentes descobriram que eles haviam se convertido ao cristianismo. Hassan contou que ele e sua esposa alugavam uma casa de seu tio em Cartum, mas ele pediu que se retirassem, após saber que haviam deixado o Islã.

Sua esposa ficou ferida tentando protegê-lo, no ataque do dia 4, ele disse à Compass.

"Estou em Cartum há seis meses, sem emprego para sustentar a minha mulher doente", disse Hassan. "Os muçulmanos invadiram nossa casa e, na tentativa de me matar, feriram minha mulher na mão."

A faca perfurou a palma da Ahmadi, que disse que seu irmão a tinha esfaqueado três vezes na barriga meses antes, ferindo gravemente o baço dela, quando ela lhe contou que se tornara cristã.

"Eu sinto dor, mas meu marido está vivo e estamos orando para ter dinheiro para o tratamento da mão e do baço", disse ela.

Perseguição da família
“No violento ataque, seu irmão também quebrou-lhe a perna esquerda. Ela foi levada às pressas a um hospital local, onde o pessoal estava relutante em tratá-la por causa de sua conversão”, fontes informaram à Compass. No final, ela ficou internada no Hospital de Nyala durante três semanas, onde conheceu Hassan, um recém-convertido que também sofreu por sua fé; ele a visitou e ouviu sobre como sua família a havia magoado.

Hassan disse que não podia cuidar dela, embora estivesse em agonia. Ele chamou um pastor da Igreja Episcopal do Sudão (ECS) para ajudá-la e ela recebeu alta após a recuperação parcial, voltando para a casa hostil onde havia sido atacada.

"Você não merece ser um membro de minha família", o pai gritou-lhe com raiva.

Sua família a trancou em um quarto, presa a uma cadeira de madeira, e a espancou durante um mês.

"Eu fui muito maltratada: rasparam todo o meu cabelo enquanto meu pai batia na minha cabeça", disse Ahmadi. "Mas os vizinhos em segredo me deram comida e água."

Depois de ser libertada do cárcere privado, Ahmadi foi impedida de sair dos limites da propriedade da família.

"Eu encontrei uma chance de escapar para ir à ECS, onde me casei com Hassan," disse. "Minha saúde continuava se deteriorando e os médicos recomendaram que eu fosse transferida para Cartum para fazer um tratamento especializado no baço. Com uma pequena quantia de dinheiro, conseguimos chegar a Cartum, de comboio, onde meu tio nos hospedou sem saber que somos cristãos ".

Em Cartum, viram-se sem condições financeiras para pagar o medicamento necessário para o tratamento do baço.

"Há apenas uma farmácia em Cartum que lida com problemas relacionados ao baço ", disse Ahmadi. "A farmácia pede um depósito antecipado no valor de 300 dólares para encomendar a droga, que vem do Cairo (Egito). Mas nós não temos como levantar a quantia necessária, uma vez que estamos desempregados. "

Hassan e Ahmadi dependem de amigos para ter alimentos básicos, disse ela. Às vezes ficam sem comer durante dois dias.

"Não podemos negar a Cristo; este é um grande desafio para nós, porque não temos um lugar para ir", disse ela, em meio às lágrimas. "Não temos comida, e estamos desempregados. Eu ainda estou com dor, além de ter um bebê de 2 meses de idade para cuidar. "

Tradução: Marcelo Peixoto 


Fonte: Compass Direct

DIA 29 - Iraque (8º) - Ação do Espírito Santo

Um cristão tinha 30 anos de idade quando segurou um Novo Testamento pela primeira vez em suas mãos. Ore para que a Palavra de Deus alcance cada parte deste país. Interceda para que o Espírito Santo trabalhe nos corações de mais e mais pessoas e que comunidades cristãs se formem em mais cidades e vilarejos.

sábado, 28 de maio de 2011

DIA 28 - Israel e Palestina - Igreja Batista de Gaza

Após três anos e meio sem pastor, a Igreja Batista de Gaza está orando por um pastor que possa servir essa pequena financeiracongregação. Ore com eles para que Deus proveja a pessoa certa para pastorear essa igreja. Interceda pelos diferentes ministérios em que as pessoas estão envolvidas, como o de mulheres e o de jovens.



Testemunho de cristãos que foram presos

 A perseguição na Eritreia tem se tornado dura para muitos de nossos irmãos. Vejamos como exemplo o caso de John e Paul.

John e Paul são cristãos da Eritreia. John contou que começou a buscar a Deus por influência de sua irmã mais velha, pois os dois eram muito próximos. A irmã de John o levava à escola dominical, onde ele poderia crescer na fé. Juntos, os dois participavam de estudos da bíblia e entraram no coral da igreja.

Nessa mesma época, John foi obrigado a servir o exército. O governo já começava a impor restrições para as igrejas, mas ainda não era tão sério quanto é atualmente. A perseguição começou leve e muitos superiores nos campos militares confiscavam bíblias, músicas e mensagem em fita cassete, com avisos para que houvesse uma paralisação das atividades “ilegais”. Com o passar do tempo, reuniões e evangelismo nos campos foram proibidos. Mas, mesmo assim, os cristãos se reuniam secretamente.

John foi transferido para outro campo militar, onde conheceu Paul. A amizade entre os dois se tornou forte quando eles começaram a compartilhar suas crenças em Jesus e as duras restrições os aproximaram mais ainda de Deus. Eles, então, encontraram um grupo que se reunia perto do campo e começaram a participar dos cultos. No entanto, a polícia descobriu as reuniões e prendeu todos os participantes.

Os dois ficaram presos por quase dois anos e depois foram transferidos para uma prisão diferente: eles foram trancados em um contêiner de metal por um ano. De lá eles foram transferidos para outra prisão. Os dois foram presos sem nenhuma acusação formal e ficaram indo de prisão em prisão, por quase nove anos.

“Nossas famílias não estavam autorizadas a nos ver, Nossos pais não sabiam se nós estávamos vivos e nem onde estávamos. Muitos prisioneiros morreram e foram enterrados sem suas famílias saberem. Todas as prisões são iguais para cristãos: sem acusações, só prisão por longos períodos.”

“Éramos, muitas vezes, pressionados a negar a nossa fé. Mas sempre nos recusávamos. E quando isso ocorria, éramos punidos. Às vezes íamos trabalhar debaixo de sol forte sem ter comido ou bebido nada.”

Após relatar as péssimas condições nas prisões onde ficaram e o duro trabalho que tiveram de fazer todos os dias, eles continuavam falando e sorrindo: “Mas ainda temos Jesus, e isso é o que vale mais.”

Tradução: Lucas Gregório 


Fonte: Portas Abertas

quarta-feira, 25 de maio de 2011

DIA 26 - Marrocos (31º) - Movimento de liberdade da juventude

O país está comovido pelo movimento de liberdade da juventude. Ore para que o rei do Marrocos compreenda a reforma de que necessita o país e para que Deus abra o coração dos jovens para o evangelho.

Pastor protestante diz que há 40 mil cristãos na Coreia do Norte

Segundo Lim Chang-ho, 30 mil cristãos encontram-se em campos de trabalho, mas 10 mil estão em liberdade.


Um pastor protestante oriundo da Coreia do Sul afirma que existem cerca de 40 mil cristãos vivos na Coreia do Norte, o país com pior registo de violações da liberdade religiosa do mundo.


Lim Chang-ho diz ter fontes no interior do país comunista e pode garantir que a comunidade cristã sobrevive, embora só o consiga fazer em segredo: “Preservam-se da única maneira possível, casando-se entre eles, e em segredo”.


Na Coreia do Norte o Cristianismo, tal como a adesão a qualquer outra religião, são expressamente proibidos. O regime promove o culto da figura de Kim Il Sung, “o Presidente Eterno”, e do seu filho, o “Querido Líder” Kim Jong Il.


A crença religiosa é vista como uma ameaça a este culto, especialmente porque a propaganda oficial utilizou várias imagens bíblicas para criar um mito à volta de Kim Il Sung, incluindo a lenda de que o seu nascimento havia sido acompanhado pelo aparecimento de uma estrela no céu.


Segundo Chang-ho dos 40 mil cristãos no país, apenas 10 mil estarão em liberdade com os outros detidos em campos de trabalho, sujeitos a condições deploráveis.


Os números apresentados pelo pastor sul-coreano são impossíveis de verificar. Fontes próximas da AsiaNews, uma agência de informação católica especializada na Ásia, dizem que no país há apenas umas duas centenas de católicos, na sua maioria idosos sobreviventes da Guerra Civil. Todo o clero que ainda existia na altura da divisão da Coreia desapareceu sem deixar rasto, incluindo o bispo de Pyongyang.
Fonte: Notícias Cristãs com informações da Renascença

ESTA CHEGANDO O DIP

O que é?

Uma nova dimensão da perseguição

A política de nacionalismo hindu, que alimentou a perseguição aos cristãos por mais de uma década na Índia, parece estar perdendo espaço no país. Com isso vem a esperança de que não aconteçam mais incidentes desse gênero na Índia, como o grande número de ataques ocorridos em Orissa, em 2008, em que morreram cerca de 100 cristãos.

Existe uma esperança de que isso se torne realidade, mas a ausência de violência contra as minorias cristãs não garante sua segurança.

A questão de perseguição aos cristãos está sendo vista pela mídia como algo do passado. Mas essa noção de paz na comunidade, entendida como ausência de violência contra as comunidades, pode ser considerada enganosa.

A frequência dos ataques aos cristãos, que se mantém alta como nos últimos 13 anos, é um fator importante a ser analisado nesse caso.

Estatísticas feitas por grupos cristãos na Índia indicam claramente que não há trégua na perseguição contra as minorias cristãs desde o início de 1998, ano em que a política de direita hindu assumiu o poder.

De 2001 a 2004, foram registrados cerca de 200 ataques contra cristãos a cada ano, e nos anos seguinte houve crescimento desses números. O número real de casos é provavelmente muito maior do que se relata, pois nem todos os casos são formalmente registrados ou veem à tona para todos verem.

Tradução: Lucas Gregório 


Fonte: Christian Today

terça-feira, 24 de maio de 2011

DIA 25 - Turcomenistão (15º) - Pastor Ilmurad Nurliev

 Continue a orar pelo Pastor Ilmurad Nurliev, sentenciado a quatro anos em um campo de trabalho. Ore para que seu caso seja revisto e que a justiça seja feita. Clame por sua esposa Maya e para que a família experimente as provisões e o amor de Deus a cada dia.

A primavera árabe e a liberdade dos cristãos

O exército sírio recentemente cercou a cidade Daraa. Centenas de pessoas morreram no sangrento episódio, chamado de “primavera árabe”.

Enquanto o mundo se solidarizou com as vítimas assassinadas pela repressão do atual presidente Assad, um grupo tem sido esquecido nesse contexto: a população cristã síria. Eles veem com outros olhos o surgimento dessa democracia árabe que está se instalando.

Cerca de 10% por cento da população síria é cristã e o governo sírio tem feito um bom trabalho, tentando defender as minorias religiosas da perseguição.

Mas esse processo de transição de governo traz um dilema para a comunidade cristã da Síria: todo o resto continuará igual. Mesmo que a Síria crie leis mais democráticas, as coisas estão longe de ser diferentes. Com a saída do atual presidente, o país pode se tornar um lugar perigoso para os cristãos.

O que falta em toda essa conversa sobre “primavera árabe” e “democracia” é saber o que realmente significa democracia para os sírios e se ela conseguirá de fato tornar as coisas  necessariamente  melhores para o país.

Regimes autoritários ou democracias fortes forçam a população a seguir as leis do país, podendo oferecer às minorias alguma proteção contra a revolta de multidões. Mas retire toda a autoridade do Estado e, consequentemente, verá que o resultado é a violência. E é disso que os cristãos sírios têm medo, pois é necessário tomar mais atitudes do que simplesmente implantar a democracia e achá-la boa.

A democracia, que é vista no Ocidente como a forma mais justa de governo, não tem a mesma conotação em países do Oriente Médio, como Síria e Egito.

Tradução: Lucas Gregório 


Fonte: Christian Post

Missionária vê resultados de evangelismo na Gâmbia

A missionária Luciana Marques, que trabalha em Kachumeh/Gâmbia, está muito grata a Deus e glorifica o Seu nome pela primeira conversão que aconteceu naquela localidade, em abril. Se trata de um jovem, chamado Ortiz, que participou da primeira etapa de construção do salão de reuniões da igreja. Ele procurou o obreiro da terra, irmão Justino, que tem ajudado nos trabalhos naquele campo e disse: "Eu quero seguir a Jesus".
A missionária Luciana Marques conta que durante as comemorações da Páscoa aproveitou para realizar um evento evangelístico para crianças gambianas em Kachumeh (village onde a missionária trabalha). Segundo ela, o trabalho teve muita diversão, música e história bíblica, especialmente na sexta-feira daquela semana. Muitas crianças foram impactadas pelas mensagens da Palavra de Deus!
“Agora estamos colhendo os frutos daquele trabalho. Peço aos irmãos que orem pela vida de Ortiz, que tão prontamente recebeu a semente, para que floresça e produza frutos”, pede a irmã Luciana Marques.
Fonte: JMM

segunda-feira, 23 de maio de 2011

Síria - ORE

video

DIA 24 - China (16º) - Ministério dos cristãos uigures

Ore pelo ministério dos cristãos uigures que ajudam os muçulmanos pobres na região. Eles os proveem de roupa e alimentação. Além disso, continue a orar por Alimjan, que está preso em Xinjiang. Interceda para que o tribunal reveja sua decisão e faça justiça a Alimjan e sua família.



domingo, 22 de maio de 2011

Ore pelo 16º país no ranking de perseguição: China

O presidente Hu Jintao governa um dos poucos países de ainda conta com regime socialistas. Por conta disso,o ateísmo é oficial no país de 1.350 milhões de habitantes. A China é o país número 16 na Classificação de países por perseguição tem 85 milhões de cristãos.

Aumentar a tolerância às igrejas não registradas tem aumentado e as ameaças a elas também, mas a persguição ainda existe e foi relatada em algumas áreas. Em outubro de 2010, as autoridades impediram 200 líderes de igrejas domésticas de irem ao Terceiro Congresso de Lausanne na África do Sul. Isso ocorreu após um aviso de que este encontro era "anti-China" pois não havia uma representação de algum da igreja oficial.

Um advogado de direitos humanos cristão liberto pelo governo chinês em 06 de abril voltou a desaparecer semanas mais tarde.

Pedidos de oração 
  • Ore pelo pastor uigur Alimjan Yimit, condenado a 15 anos de prisão no final de 2009.
  • Ore para que a igreja tenha uma influência positiva na sociedade através dos ministérios para os imigrantes, os idosos, as famílias disfuncionais e com pobres.
  • Ore pelos treinamento líderes jovens e discipulado da Portas Abertas no país, desenvolverá jovens líderes a alcançarem os jovens de toda a China.

Tradução: Portas Abertas 


Fonte: Portas Abertas

DIA 23 - Tadjiquistão (33º) - Mavluda, recém convertida

Ore por Mavluda, que recentemente se tornou uma cristã. Ela começou a visitar os cultos com regularidade. Inicialmente, seu marido a deixava ir, mas, após um tempo, ele a proibiu. Quando ela se recusou a obedecê-lo, ele ficou furioso e começou a agredi-la verbal e fisicamente, chegando a atacá-la com um martelo, atingindo-a na cabeça.

Equipe faz longa caminhada para chegar a grupos não alcançados

Há dois anos, uma equipe de crentes do Quirguistão caminhou por mais de uma semana para chegar a um grupo de 2.500 pessoas isoladas e analfabetas. Este ano, eles estão fazendo isso de novo. Este grupo remoto de pessoas não lê e não tem acesso a quase nada. Acredita-se que foi a primeira vez que o grupo ouviu a Palavra de Deus.
De acordo com o Projeto Joshua, 57% dos grupos de pessoas no país - que são quase 90% de muçulmanos - ainda não foram alcançados com o Evangelho. Quirguistão está em 46º lugar no ranking dos países com os maiores níveis de perseguição, por isso a Palavra se espalha com dificuldade.
No entanto, os parceiros do Ministério Ouvir a Escritura disseram que muitas das pessoas do Quirguistão têm demonstrado um interesse real no Evangelho. Este grupo isolado de pessoas representa alguns deles.
Tom Dudenhofer, do Ministério, confirma que tenha havido resposta, e agora a equipe está voltando para a remota região para levar mais Bíblias em áudio.
"Eles têm de andar fora da estrada por cerca de três dias, depois caminham por mais quatro dias até chegarem a um assentamento, e então tomam uma outra caminhada de três dias a partir daí. Dudenhofer acrescenta: "Este é verdadeiramente um povo esquecido".
A viagem inclui a entrega de escrituras de áudio gravado para o grupo, com carregadores à base de energia solar.
Fonte: Mission Network News / CPAD News

DIA 22 Uzbequistão (9º) - Multa à Sociedade Bíblica do Uzbequistão

A Sociedade Bíblica do Uzbequistão foi multada por violar procedimentos para a importação de dois carregamentos de cinco mil Bíblias russas e sete mil Bíblias infantis nas línguas uzbeque e karakalpak. O Comitê para Assuntos Religiosos do Estado se recusou a liberar os livros a despeito de sucessivos apelos das igrejas cristãs. O juiz determinou à Sociedade Bíblica que retornasse os carregamentos para a Rússia, arcando com o custo. Funcionários do governo alertaram que "não há necessidade de importar Bíblias para o país, uma vez que há uma versão eletrônica na internet". Ore para que a Bíblia esteja disponível para cada pessoa no Uzbequistão, para que não sejam enviadas de volta e possam ser distribuídas no país. Interceda em favor da apelação que a Sociedade Bíblica apresentou contra esta decisão.

sábado, 21 de maio de 2011

Níger - Ore por este POVO!!!

video

DIA 21 - Azerbaijão (24º) - Culto invadido

Um pastor teve de deixar o país após a polícia ter invadido o culto de sua igreja em um sábado. A polícia gravou tudo em vídeo, fez buscas nas instalações e confiscou literatura, CDs e DVDs. Também levaram os brinquedos das crianças. O motivo foi que, de acordo com as autoridades, os "sectários" atraem as crianças para a "seita" usando brinquedos. Ore para que esse pastor possa retornar para sua família.

quinta-feira, 19 de maio de 2011

Pastor e menina são assassinados por guerrilheiros na Colômbia

Uma garota de 14 anos e um pastor foram mortos pelas FARC’S (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia), em um ataque mortal contra cristãos na Colômbia, no começo de maio. Ambos eram membros da Igreja Adventista do Sétimo Dia. O pastor da igreja, Gualberto Nieves, deixou uma esposa e dois filhos.

A jovem de 14 anos, Mayerli Ninõ Blanco, foi morta na casa de cristãos no estado de Arauca e seus irmãos tiveram de andar cerca de três horas até um telefone em uma fazenda próxima, para avisar o pai, que estava viajando.

O pai da garota e o pastor Nieves imediatamente retornaram à fazenda, quando o pastor foi atingido no peito, morrendo instantaneamente. A esposa dele não aceita a perda, por isso ela e suas duas filhas acreditam que o pastor Nieves continua vivo.

Cristãos são alvos de ataques armados
Grupos armados ilegais como as FARC’S cometem esse tipo de ataque frequentemente, tendo como alvo pastores e cristãos em geral. Eles são forçados a parar de pregar, molestados, sequestrados e mortos.

No início do ano, outro pastor e sua filha foram assassinados por grupos paramilitares, do lado de fora de uma igreja evangélica, durante um culto numa manhã de domingo.

Entre 25 e 30 pastores colombianos são assassinados por grupos armados todo ano: já são mais de 300 pastores mortos desde 2000. Eles se tornam alvos de grupos amados ilegais, porque promovem a fé e um estilo de vida contrário aos valores e objetivos desses grupos.

Esse relato mostra a constante ameaça com as quais os cristãos colombianos se deparam e a importância de apoiar e dar suporte a pastores e cristãos diante da violenta perseguição que enfrentam no país.

Tradução: Marcelo Peixoto 

* Este país não se enquadra entre os 50 mais intolerantes ao cristianismo. 
Fonte: Christian Solidarity Worldwide

Dia 20 - Etiópia (43º) - Sentença

Em novembro de 2010, Tamirat Woldegorgis, um alfaiate cristão, foi sentenciado a três anos de prisão por supostamente profanar o Alcorão. Um juiz da alta corte na cidade de Jijiga reverteu o veredito inicial. Ele determinou que Tamirat não violou nenhuma lei e o inocentou de todas as acusações. Louve ao Senhor porque esse caso ocorreu de forma justa. Ore por Tamirat para que continue confiando em Deus para ser liberto da prisão e que o Senhor lhe dê força para perseverar. Interceda, também, pelos líderes da igreja, pois tornaram-se alvos de ataques muçulmanos por apoiar Tamirat.

quarta-feira, 18 de maio de 2011

Jovens que sofreram abusos desabafam e recebem orações em Nairóbi

Quênia é um país localizado ao leste do continente africano e conta com uma população de 30,1 milhões de pessoas. Apesar de ser conhecido mundialmente por seus atletas vitoriosos, como os velocistas James Kipsang, Robert Cheruiyot e Paul Tergat, campeões da corrida de São Silvestre, que acontece na cidade de São Paulo (SP) todo o último dia do ano, o país também enfrenta problemas sérios em sua estrutura.
A nação foi colonizada em 1888 pelos ingleses e conquistou a independência em 1963. Nos anos seguintes, o povo sofreu com ditaduras políticas que geraram conflitos tribais, ocasionando mortes e lutas sangrentas. Em 2002, o atual presidente Mwai Kibaki foi eleito, colocando fim aos 24 anos de ditadura. Mas, milhares de quenianos ainda sofrem com a miséria decorrente do alto índice de desemprego, corrupção e falta de infra-estrutura.
Há 16 anos, a Igreja Universal do Reino de Deus realiza um trabalho de evangelização, visando levar esperança por meio da fé em Deus, em hospitais, presídios, clínicas de recuperação e comunidades carentes do Quênia.
Ana Paula Teixeira (foto à esquerda), esposa do pastor Alexandre Teixeira, responsável pelo IURD no país, há um ano realiza visitas às meninas adolescentes das escolas da capital, Nairóbi. Ana Paula conta que a ideia surgiu pela dificuldade de evangelização com panfletos, atividade proibida na região e, principalmente, após conversas com jovens que a procuravam na Igreja e desabafavam com ela sobre assuntos delicados, que não tinham coragem de contar para ninguém. “Aqui o povo é muito carente e muitas das garotas que me procuravam relatavam abusos sexuais. O número de mães solteiras que nem sabe quem é o pai de seus filhos é muito grande, então decidi ir até aquelas que não vinham à Igreja e procurar ajudá-las nas escolas”, explica.
De acordo com Ana Paula, a aceitação foi imediata e superou as expectativas, pois quando chegou à primeira escola, as estudantes ouviram atentamente a Palavra de Deus, receberam orações e choraram durante o aconselhamento, enquanto desabafavam a respeito dos problemas vividos. “Elas se sentiram acolhidas e surpresas com a visita, pois aqui há uma distância muito grande entre os religiosos e o povo. Alguns vizinhos da escola se interessaram em estudar naquele colégio só por causa da visita”, revela, acrescentando que apesar do trabalho ter apenas pouco tempo, já é possível ver resultados, pois muitas alunas estão indo à IURD: “Quando nos deparamos com a realidade que elas vivem, podemos sentir a dor de cada uma, refletida em cada olhar. Mas sabemos que vamos alcançá-las para o Senhor Jesus e com certeza o futuro delas não será de sofrimento, mas sim de alegria.”
Um futuro que foi mudado na vida de Rebecca Wanyama, de 42 anos, moradora de Nairóbi. Ela conta que chegou à IURD no final de 2007, em meio a uma guerra política de etnias. Por causa do conflito, teve todos os bens queimados, após ter a casa invadida. “Várias pessoas foram mortas, algumas até mesmo queimadas vivas. Por sermos de uma tribo que não era predominante na cidade onde morávamos, nossa casa foi invadida e queimada, junto com tudo aquilo que tínhamos”, conta.
Somente com a roupa do corpo, a família fugiu para a capital, onde, andando pela cidade, foi convidada por um membro da IURD a participar de uma reunião. Ao frequentar os encontros semanalmente, Rebecca diz que recebeu forças para lutar e, com o passar do tempo, seu pranto se transformou em alegria.
“Começamos a lutar pela reconstrução de nossas vidas. Meu marido conseguiu um lugar para trabalhar, começamos a prosperar e logo conseguimos um local digno para morar com nossa família, muito melhor do que o que foi queimado. Depois que conhecemos o Senhor Jesus, na Igreja Universal, minha família foi restaurada e abençoada por Deus”, conclui.
Por Cinthia Meibach
Fonte: Arca Universal

Japão: oportunidades em meio à crise

Em parceria com a Igreja local e com outras agências missionárias, JOCUM permanece trazendo ajuda, conforto e esperança aos japoneses nesse tempo de velar as vítimas do terremoto e subsequente tsunami que devastaram a nação no último mês de Março.
Nas conseqüências da devastação do terremoto e tsunami que afetaram o nordeste do Japão no mês passado, relatórios de equipes de JOCUM têm chegado, descrevendo o impacto do desastre e explicando seu envolvimento no processo de recuperação do País.
Cancelando todos os outros planos, líderes de JOCUM decidiram apoiar o trabalho da “Crash Japão“ - uma rede oficial de missões e igrejas no Japão para situações de terremotos e outros desastres que leva consolo cristão, assistência, suporte e esperança (ou Christian Relief, Assistence, Support and Hope em situações de crise, daí vem o acróstico CRASH). Esse é um ministério autorizado de missões vinculado à Associação Missionária Evangélica do Japão, da qual a JOCUM também faz parte. O objetivo da CRASH é equipar cristãos no Japão para estarem prontos quando desastres atingirem o País, mostrando o amor de Jesus de maneiras práticas e efetivas.
O ingresso de equipes da JOCUM de Tóquio é a primeira resposta para o Rescue US. Além disso, voluntários da JOCUM iniciaram a cobertura jornalística de tudo o que aconteceu a partir da produção de notícias direto da fonte sem nenhum tipo de manipulação dos fatos (saiba mais sobre esse novo conceito, chamado GrassRoots News).
A ameaça de radiação vinda das instalações danificadas das usinas nucleares tem restringido o acesso a algumas partes das áreas do desastre, mas jocumeiros residentes no Japão anteciparam que haverá muitas oportunidades para servir os sobreviventes e ajudá-los a restaurar suas vidas assim que os serviços básicos forem retomados e a força de resgate tenha cumprido sua tarefa.
JOCUMeiros no Japão tem feito pedidos de oração e doações que podem ser encaminhadas à Crash Japão, que é a agência que tem lutado para conseguir fornecimento de comida para os necessitados.
David McDaniel, líder da Escola de Treinamento e Discipulado de Tóquio nos esclarece algumas coisas, dizendo:
” Este é um país com uma forte insfraestrutura – eles são experts em resposta a desastres em função de sua cultura… Agora, a vontade mesmo de muitas pessoas é entrarem em aviões e vir pra cá. Eu sou grato pelos seus corações e vontade de vocês em relação a tudo isso, mas, neste momento mesmo, não precisamos de uma imensidão de pessoas vindo para cá. Na realidade, o que mais precisamos é de suas orações”.
McDaniel comenta sobre a necessidade de orações pelos esforços no resgate, pela situação de perigo causada pela destruição de instalações nas usinas nucleares para que tudo esteja sobre controle, e pelo derramar da paz do Senhor sobre as pessoas do Japão nesse momento tão difícil.
Por fim, David comenta: “O caráter Japonês na crise é uma combinação de dois Kanji – um pelo perigo e o outro pela oportunidade. Na crise, Deus quer fazer o que Ele sempre faz – pegar algo que é perigoso e horrível e redimir isso tudo, trazendo para Si, os corações das pessoas. É nisso que temos crido – nessa nação conhecendo o incrível amor que seu Deus possui por eles como pessoas”.
Uma mensagem de Jocum Tóquio
Em nome de todos aqueles afetados pelo terremoto na região de Tohoku, nós gostaríamos de expressar nosso sentimento de compaixão, preocupação e simpatia. A todos aqueles que estão trabalhando duro nas áreas atingidas pelo desastre e a todos os outros ao redor do mundo que estão orando pelo Japão e doando recursos financeiros ou outras opções de assistência, nós queremos expressar nossa profunda gratidão e respeito por todos os seus sacrifícios.
O Japão enfrenta agora uma situação que nós jamais poderíamos imaginar que iria acontecer. Informes sobre a perda de vidas e sobre os danos aumentam diariamente. Muitas pessoas no País estão profundamente chocadas.
Porém, mesmo no meio de uma tristeza tal como essa, nós temos esperança porque nosso Deus onipotente tem estado conosco. Muitas pessoas mundo afora estão orando pelo Japão. Nós estamos recebendo muitas mensagens de encorajamento. Muito tem expressado seus desejos de ajudar. Nós estamos muitíssimo agradecidos por tudo isso! Por favor, saibam que suas orações estão alcançando o Japão.
A JOCUM Japão está se preparando para fazer um trabalho de socorro e consolo nas áreas afetadas pelo desastre. No entanto, dessa vez, o acesso está restrito e não é possível adentrar essas áreas diretamente. Por causa da situação instável, têm havido também alguns desencontros de informações. No entanto, nós estamos orando na medida em que esperamos pelo tempo de Deus para toda essa situação. Se você quer vir ao Japão para ajudar, eu gostaria de pedir a você que também continue orando pelo País e esperando pelo tempo de Deus para tudo isso.
Por favor, clique aqui para saber de motivos de oração específicos e ainda informações adicionais (em Inglês).
Por fim, eu posso informar que todos os missionários de JOCUM Japão estão bem e em locais seguros.
Por Kazuhiko Yoshida - Liderança de JOCUM Japão
Fonte: Jocum.com.br

terça-feira, 17 de maio de 2011

DIA 18 - Quênia - Conferência da Liderança Consultiva

As igrejas na costa do Quênia são minoria. Ore para que a Conferência da Liderança Consultiva da Portas Abertas capacite as igrejas para um ministério eficaz.

Três cristãos iranianos são soltos da prisão

  Três cristãos iranianos foram soltos da prisão após passarem 239 dias atrás das grades, mas um pastor que foi preso com eles permanece detido.

Sonia Keshish-Avanesian, Arash Kermanjani e sua esposa Arezo Teymouri foram soltos da prisão estadual de Hamadan no dia 30 de abril. Não se sabe por que o marido de Sonia, o pastor Vahik Abrahamian, continua preso. Ambos os casais foram ouvidos no tribunal em 28 de abril, quando seus advogados puderam apresentar sua defesa. Em seguida, o juiz declarou a libertação dos cristãos.

Os cristãos foram presos na casa de Abrahamian em Hamadan, no dia 4 de setembro de 2010, por suposta ligação com um pequeno protesto na cidade. Eles foram acusados de diversas ofensas, incluindo a de estar relação com organizações estrangeiras, de propagar o cristianismo no Irã, de se opor à República Islâmica e de formação de grupos de oposição dentro e fora do país. Familiares e amigos disseram que essas alegações são absurdas e ridículas.

O quarteto foi mantido isolado e sofreu agressões físicas e pressão psicológica durante 40 dias antes de ser transferido para a prisão em Hamadan. Sonia estava grávida na época, mas sofreu um aborto enquanto estava presa.

Amigos que viram Sonia, Arash e Arezo depois que eles foram soltos afirmam que eles perderam muito peso e estão muito fracos.

Tradução: Deborah Stafussi 



Fonte: Barnabas Fund

DIA 17 - Zanzibar (36º) - Igreja em Zanzibar

 A Igreja em Zanzibar é marginalizada em muitos aspectos. Muitas pessoas das congregações locais não compreendem seus direitos legais e, como consequência, os prédios de suas igrejas têm sido demolidos e eles têm sido desapropriados de seus terrenos. Ore para que os líderes de igreja se unam e tomem as medidas legais necessárias para proteger as propriedades de seus ministérios.



segunda-feira, 16 de maio de 2011

DIA 16 - Uganda - Pobreza

A Igreja em Uganda sofre por conta da pobreza, o que faz com que algumas mulheres cristãs se casem com muçulmanos ricos. Entre os dias 16 e 20, a Portas Abertas planeja apresentar o Seminário de Consciência Ministerial para educar os líderes de igreja sobre o mandato bíblico em relação às congregações mais pobres. Ore para que o treinamento seja uma bênção para o desenvolvimento dos pastores e obreiros.

domingo, 15 de maio de 2011

Situação Nutricional do Niger - AS CRIANÇAS PRECISAM DE SUA ORAÇÃO

video

DIA 15 - Chade - Ex-muçulmano

 Brahim, 26 anos, foi criado em uma devota família muçulmana, mas aceitou a Cristo como Senhor e Salvador logo após deixar a casa de seus pais para trabalhar a 350 quilômetros de seu vilarejo. O pai de Brahim não é tão radical na fé muçulmana como sua mãe, que ameaça pedir o divórcio caso ele não aja contra a conversão de seu filho. Os cristãos que apoiam Brahim temem que as ameaças de sua mãe possam fazê-lo renunciar sua nova fé. Ore para que o Senhor proveja discípulos para acompanhar seu crescimento espiritual. Interceda também pela salvação dos pais de Brahim.

sábado, 14 de maio de 2011

Ministério cristão evangeliza e leva ajuda às mães afegãs

Em um estudo recente divulgado pela Save the Children, o Afeganistão foi classificado como o pior país para ser mãe. A Associated Press informou que, no estudo entre os 164 melhores países para as mães, o Afeganistão ficou em último lugar. Noruega foi considerado o melhor local para a maternidade. Os EUA entrou na 31 ª posição.
O estudo foi baseado em várias estatísticas, incluindo a taxa de mortalidade infantil e a expectativa de vida. Na Noruega, as mulheres são esperadas para viver até cerca de 83 anos de idade, e a taxa de mortalidade de crianças menores de cinco anos é de um em 175.
Afeganistão, por outro lado, as têm uma expectativa de vida baixa, de 45 anos. Uma em cada 11 mulheres morre no parto, e uma em cada cinco crianças não viverá para seu 5º aniversário.
As mulheres são notoriamente negligenciadas no Afeganistão, e as estatísticas inflexivelmente afirmam essa realidade.
O Ministério cristão CURE Internacional tem visto isso em primeira mão. Em 2005, a organização aceitou um convite do Ministério afegão de Saúde Pública para assumir o controle de um hospital parcialmente restaurado e um ambulatório nas proximidades de Cabul. Até o final desse primeiro ano, ambas as instalações foram totalmente postas em operação e atendem a mais de 8 mil pacientes pacientes por mês. O hospital de Cabul é visto como uma importante oportunidade para as mulheres e receberem os cuidados maternos em todo o território do Afeganistão.
Os programas de CURE incluem obstetrícia e ginecologia, patologia, cirurgia ortopédica, cirurgia geral, cirurgia plástica e clínica geral. Para as gestantes, é um refúgio onde podem entregar seus filhos com segurança.  Elas também têm um lugar para colocar seus filhos quando eles nascem com deficiência.
CURE aproveita a oportunidade para levar às mulheres do Afeganistão negligenciadas a mensagem que elas são dignas da imagem de filhas de Deus. Eles criaram uma oportunidade única de evangelizar.

Fonte: Mission Network News

Entre em contato

Entre em contato conosco, faça sugestão sobre o blog.


maranatamissoes@gmail.com.br


Ajuda-nos a melhorarmos a cada dia.

DOMINGO DA IGREJA PERSEGUIDA

video

"Conversão religiosa é a pior forma de 'intolerância'", diz Primeiro-Ministro

No Butão, o cristianismo ainda aguarda seu reconhecimento. Segundo a lei, os cristão do país podem proclamar sua fé publicamente, mas não deve usar a coerção ou declarar que sua religião é superior às outras afim de buscar novas conversões.

“Eu vejo as conversões com muita negatividade, porque são a pior forma de intolerância religiosa” disse Jigmi Yoser Thinley. Líderes cristãos disseram a Compass que aproveitam sua pequena liberdade em suas casas, por causa da proibição contra a construção de igrejas e ainda algumas outras restrições.

Eles não tinham certeza se proclamar sua fé era permitido. Thinley, que é o líder do partido político atual, é o mais influente chefe político no país,  e afirma que vê as tentativas de conversão dos outros como algo extremamente suspeito. Mas ele declara que é permitido que os cristãos professem suas crenças – uma prática ordenada por Cristo, e que os seguidores devem concordar com o Espírito Santo e não com homens.

“Todo tipo de proselitismo que envolve incentivos materiais e econômicos é errado,” ele diz. Até agora, o Ato de Organização Religiosa do Butão de 2007 somente reconheceu o budismo e o hinduísmo como organizações legais. Como resultado, nenhuma igreja ou livraria evangélica é permitida no país. Perguntado se a organização cristã deveria se registrar pelo governo para ter sua funcionalidade reconhecida, Thinley diz, “sim, definitivamente.”

“A primeira demonstração [de busca de conversões] é você acreditar que a sua religião é a certa, e a religião do convertido é errada – o que ele acredita é errado, o que ele prática é errado, mostrar que a sua religião é superior e que você tem a responsabilidade de promover seu estilo de vida, seu modo de pensar, seu modo de adorar,” diz Thinley. “Essa é a pior forma de intolerância. E divide famílias e sociedades.”

Thinley diz que “muitas pessoas estão sendo convertidas nas camas de hospital em suas fraquezas e momentos de mais vunerabilidade. Essas pessoas estão sussurrando em seus ouvidos [dos doentes] ‘não há esperança para você. O único é se você aceitar essa religião, em particular. ’ Isso é errado.”

Tradução: Lucas Gregório 


Fonte: Compass Direct

DIA 14 - Líbano - Tensão no Líbano

A situação no Líbano permanece tensa. Ore para que a Igreja incite as pessoas a experimentar a verdadeira reconciliação. Interceda para que venha a verdadeira mensagem de perdão, que ajuda as pessoas a olhar para Jesus e imitar a vida que Ele viveu.

sexta-feira, 13 de maio de 2011

Cristãos afegãos refugiados enfrentam prisão, deportação e morte

 A agência de notícias International Christian Concern (ICC) foi informada de que sete cristãos afegãos e suas famílias, que fugiram de sua terra natal para a Índia, tiveram seu pedido de asilo negado pela ONU. Eles serão deportados para o Afeganistão, onde poderão enfrentar prisões e execução por apostasia.

A Alta Comissão para Refugiados da Organização das Nações Unidas (UNHCR) rejeitou ou encerrou o processo de sete famílias cristãs que buscavam o status de “refugiados” na Índia, após fugirem da perseguição religiosa no Afeganistão. Entre os requerentes estava Aman, pai de quatro filhos, que também recebeu uma carta autorizando sua deportação.

Aman e sua esposa se converteram ao cristianismo há onze anos. Depois disso, Aman foi estudar em um seminário em Rawalpindi, Paquistão, antes de retornar ao Afeganistão para trabalhar com uma organização de ajuda humanitária em Cabul. Ele fugiu do país e viajou para a Índia depois que uma rede de TV transmitiu imagens de afegãos sendo batizados e participando de reuniões de oração em maio de 2010. A transmissão gerou protestos em todo o país e um aumento na perseguição aos cristãos por parte do governo.

Após solicitar asilo na Índia, Aman foi informado de que ele receberia a condição de refugiado. No entanto, um documento emitido em 12 de abril afirmava que o pedido havia sido negado porque os critérios estabelecidos – de que alguém poderia receber asilo político apenas se tivesse sido perseguido por causa de sua raça, religião, nacionalidade ou opinião política e que não pode ser protegido pelo governo de seu país – não foram preenchidos.

“O escritório da UNHCR encerrou alguns casos apresentados por nossa comunidade. Isso aconteceu após todos os nossos esforços de informar e convencer a UNHCR de que é impossível viver como um cristão no Afeganistão se sua identidade é revelada ao público. A apostasia é considerada um crime, uma ação ilegal e um pecado, punível em morte, de acordo com a lei islâmica sharia, que é a base para a Constituição afegã”, afirma um líder cristão.

“Nossa comunidade é perseguida e rejeitada. Nós deixamos para trás todos os nossos pertences para podermos salvar nossas vidas. Aqui na Índia, não estamos recebendo nenhuma proteção física ou legal. Somos agredidos, atacados e insultados pelos muçulmanos indianos.”

Tradução: Deborah Stafussi 


Fonte: International Christian Concern

DIA 13 - Vietnã (18º) - Programa de treinamento para mulheres

No mês passado, mulheres cristãs do Vietnã participaram do programa de treinamento da Portas Abertas. Algumas participantes viajaram de seus vilarejos, nas montanhas, para comparecer a essa aula de uma semana de duração. Ore para que a graça de Deus ajude essas mulheres a assimilarem e passarem adiante o que aprenderam para suas famílias e vizinhos.


quarta-feira, 11 de maio de 2011

DIA 12 - Índia (32º) - Denúncia de família Cristã

 Entre 100 e 200 famílias de Chhattisgarh foram afastadas de seus vilarejos por causa dos rebeldes maoístas que pensaram que elas eram simpatizantes do governo. Moradores irados porque essas famílias haviam se tornado cristãs, denunciaram-nas aos maoístas. Ore por essas famílias e por uma intervenção divina.
O que é?

Extremistas hindus agridem pastor na Índia

No começo do mês de abril, extremistas hindus agrediram um pastor e evangelista em frente a seus filhos, até que ele ficasse inconsciente.
Ramesh Devda, 30 anos, da cidade de Dhadhniya, no distrito de Meghnagar, declarou que ele foi atacado em 4 de abril após liderar um encontro de oração na vila de Chikklia. Ele disse que estava indo em direção a Bhajidongra, na fronteira dos estados de Madhya Pradesh e Gujarat, em sua motocicleta com seus dois filhos, Elias, 10, e Shimon, de 8 anos, para liderar outro encontro de oração.
Quando ele chegou à vila de Raseda, disse ele, de repente três pessoas em duas motocicletas bloquearam seu caminho e o forçaram a parar.
“De repente, estes três homens apareceram em duas motocicletas – eles me bloquearam e derrubaram minha motocicleta,” disse o pastor Devda. “Nós caímos. Eles estavam carregando grandes pedaços de bambu e porretes. Eles começaram a me bater, e então chamaram mais três homens que começaram a me atacar.”
Ele disse que ficou agradecido, pois seus filhos foram poupados, apesar de que o mais velho machucou a perna durante o ataque.
“Eles estavam furiosos comigo e me ameaçaram de morte e me avisaram para não voltar mais na área deles,” ele declarou. “Meus filhos estavam gritando o mais alto possível, pois estavam com medo. Um dos homens me atingiu na testa com um grande pedaço de bambu, ferindo minha cabeça. Os outros também bateram em meu corpo, especialmente nas minhas costas, com pedaços de bambu.”
Um golpe na testa o cegou temporariamente.
“Meus olhos ficaram escuros, e eu caí, então eles continuaram me batendo ainda mais”, declara. “Os homens foram também abusivos no linguajar e eles estavam bêbados”.
As pessoas que passavam ouviram os dois meninos chorando e vieram ajudar, e os agressores fugiram, deixando o pastor inconsciente.
“Eu não sei quem me ajudou, pois estava inconsciente”, disse o pastor Devda. “Mas eu soube depois que cristãos locais também vieram e chamaram a emergência. Como resultado, uma ambulância veio e me levou para o hospital”.
Ele foi levado para o Hospital Cirúrgico Anita, em Dahod, Gujarat. Lá, um médico identificado somente como Dr. Bharpoda lhe disse que ele tinha fraturado o crânio.
“Eu estou sendo tratado dos meus ferimentos agora, mas ainda tenho muita dor”, disse o pastor Devda.
Cristão há 15 anos, o pastor Devda é líder há 11 anos e agora trabalha com a Associação Cristã Reformada da Índia. Ele tem outros dois filhos, Ashish e Sakina de 4 anos, e sua mulher Lalita, 28 anos, é ativa junto com ele no ministério.
O pastor Devda lidera congregações nas vilas de Chikklia, Bhajidongra e Dhadhniya.
Tradução: Cláudia Veloso

Fonte: Portas Abertas

DIA 19 DE JUNHO

Oração

terça-feira, 10 de maio de 2011

Missionários enfrentam novos desafios no Timor-Leste


A equipe missionária que está em Dili, capital do Timor-Leste – Pr. Evaldo e Vanete Teixeira, Elizete Ramos e Silvânia Maria da Costa – está feliz como os novos irmãos que estão sendo acrescentados à Igreja Batista no país. “O mês de fevereiro foi especial para mim! Pois, como pai cristão, missionário e pastor, pude ver meu filho caçula, Jônatas, sendo batizado. Além dele batizei Marlina, uma timorense nova convertida. Foi especial porque tive o privilégio de batizar esses dois adolescentes numa praia de Dili”, informou o missionário Pr. Evaldo.
Desta vez, segundo ele, não tinha nenhum jacaré ou crocodilo, mas o mar estava muito bravio. O missionário e o filho foram “engolidos e batizados juntos”, por uma onda que os surpreendeu assim que entraram na praia. “Depois dos risos e o susto, pude batizá-lo calmamente '...em nome do Pai do Filho e do Espírito Santo' (Mateus 28.19); e, em seguida, foi a vez de Marlina. O desafio agora é continuar o discipulado dos dois, '...ensinando-os a guardar todas as coisas que eu vos tenho mandado...', segundo Mateus 28.20”, disse o Pr. Evaldo.
Novos desafios em Timor-Leste
Os novos desafios da obra missionária em Timor-Leste são: aquisição de um terreno para a construção de um novo templo em Dili; sustento para cinco seminaristas timorenses que estão na Indonésia se preparando para o ministério e novos alunos e professores para o Centro de Formação Vida Mais (CFVM). O missionário informa, também, que o CFVM está recebendo novos alunos e novos professores para a formação da turma deste ano.

Fonte: JMM